Chamada “Debater a Europa”: Europa, farmácia, medicamentos


“A redação da Revista Debater a Europa está com chamada aberta para o envio de propostas para o número 14, coordenado por João Rui Pita e Ana Leonor Pereira, que terá como tema «Europa, farmácia, medicamentos».

Âmbito

A atividade farmacêutica e o medicamento são imprescindíveis na sociedade contemporânea. Os medicamentos resultam de inovação científica e tecnológica e são produzidos em indústrias farmacêuticas que, na sua generalidade, são empresas multinacionais. Apesar da existência de tendências globais nos medicamentos, na União Europeia há especificidades. Os medicamentos estão sujeitos a normas jurídicas e a normas éticas. Existem políticas de investigação e políticas de comercialização que se relacionam com as políticas de saúde. As profissões farmacêuticas são dotadas de uma forte responsabilidade profissional. Os medicamentos, além de uma componente científica e clínica, têm uma forte componente social. Nos tempos contemporâneos tem de se considerar as novas áreas relacionadas com o medicamento como a genética, a biotecnologia e outras. Estes caminhos inovadores constituem importantes desafios científicos, tecnológicos, jurídicos, económicos e, acima de tudo, desafios no plano da saúde privada, pública e social.

O presente número da revista Debater a Europa é dedicado ao tema: “Europa, farmácia, medicamentos”. De acordo com o âmbito, aceitaremos artigos que versem a farmácia e o medicamento na Europa do século XX-XXI e que também estudem as realidades de cada Estado-Membro. Serão aceites artigos que incidam sobre a vertente histórica, social, ético-jurídica e económica do medicamento, de acordo com as linhas temáticas seguintes:

• História da farmácia e do medicamento em países da União Europeia no séc. XX;
• História e sociologia de farmácias, indústrias farmacêuticas, medicamentos, patentes, publicidade, etc;
• A dimensão social das profissões farmacêuticas e do medicamento;
• A investigação científica do medicamento: tradição e inovação;
• Indústrias farmacêuticas, produção e globalização do medicamento;
• A cedência do medicamento: aspetos jurídicos, éticos, sociais e económicos;
• Novos desafios científicos, tecnológicos, políticos ou outros do medicamento, no contexto europeu.

A revista Debater a Europa apela assim à submissão de trabalhos, sob a forma de artigos científicos ou recensões bibliográficas, que venham ao encontro das referidas temáticas.

Os interessados em colaborar deverão enviar os artigos originais e as recensões por e-mail paradebatereuropa@gmail.com até ao dia 31 de outubro de 2015.

No caso dos artigos, os interessados deverão também especificar a linha temática em que os pretendem incluir.

As colaborações deverão ser originais e inéditas, e não poderão ter sido submetidas à apreciação para publicação noutras revistas. Os textos poderão apresentar-se em português, espanhol, francês ou inglês, e deverão ser processados em formato Microsoft Word, tipo Times New Roman, tamanho 12, a espaço e meio, (com excepção das citações longas e das notas de rodapé, que deverão ser em tamanho 10, espaço simples).

Os artigos científicos deverão ter até 35 páginas (incluindo espaços, notas de rodapé e bibliografia final) e ser acompanhados de um resumo até 100 palavras e de 5 palavras-chave, em português e inglês.

As referências da bibliografia final e as citações devem obedecer à Norma Portuguesa 405-1 (1994) e atualizações. Consulte as Normas de arbitragem Científica, apresentação e publicação dos originais. Os artigos que não obedeçam às normas serão devolvidos.

Datas:
‣ Envio dos originais: até 31 de outubro de 2015
‣ Notificação de aceitação: até 30 de novembro de 2015

Debater a Europa (ISSN 1647-6336) é uma revista com arbitragem científica e indexação em curso (http://europe-direct-aveiro.aeva.eu/debatereuropa/) vinculada ao Centro de Informação Europe Direct de Aveiro e ao Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra – CEIS20, em parceria com o Gabinete em Portugal do Parlamento Europeu e a Representação da Comissão Europeia em Portugal.”

(Fonte)

Avalie este artigo

Professora Auxiliar no ISCSP-UL. Licenciada em Sociologia do Trabalho (especialização em Política de Recursos Humanos) pelo ISCSP-UL, licenciada em Biologia (especialização em Biologia Evolutiva e do Desenvolvimento com Minor em Geologia) pela FCUL, Mestre em Sociologia e Doutora em Sociologia pelo ISCSP-UL, pós-graduada em Medical Marketing Management e Product Management pelo ISCTE-IUL. A frequentar os Mestrados em Microbiologia Aplicada e Ciências do Mar na FCUL. Investigadora e autora.